BLOG_características_de_uma_contabilidade_Inovadora

Características de uma Contabilidade Inovadora

Primeiro vamos iniciar com uma pergunta, você sabe o que é Contabilidade Inovadora? O que veio a sua cabeça?

Talvez apenas inovações tecnológicas, não é mesmo? Mas saiba que a contabilidade inovadora vai muito além de tecnologia.

Inovação tem a ver com explorar com sucesso as novas ideias e transformá-la em algo que se possa alcançar. É focar na contribuição de algo novo que possa resolver o problema de alguém de forma eficaz, pratica e ágil.

Neste processo é necessário pensar e agir fora da caixa. É imprescindível contar com a contribuição de todas as equipes. Discutir as diferentes decisões e estar alinhado às metas e objetivos do negócio.

A inovação não é apenas adotar novas tecnologias, mas entender que a tecnologia é um recurso importante e vai agregar na cultura organizacional para desenvolver diferenciais. Inovar é um fator que coloca a empresa em uma posição competitiva no mercado. Estar atualizado, provoca retornos positivos tais como: aumento de faturamento, redução de custo, melhorias nas condições de trabalho, entre outros benefícios.

Contabilidade e a Transformação Digital

As atividades humanas nos ambientes corporativos sempre estiveram atreladas a inovação. Com o avanço da tecnologia, globalização e popularização dos recursos digitais, a inovação ocupou posição essencial no mercado. A transformação digital facilita as rotinas corporativas, através dela é capaz de atender com maior agilidade às demandas do mercado. Inovar é primordial para seu negócio.

Com a transformação digital novos modelos contábeis surgiram. A contabilidade passou a ter uma função mais abrangente e menos burocrática, dá maior condição ao gestor de tomar decisões importantes para seu negócio e apoiar também a inovação nas empresas.

Confira alguns modelos de contabilidade mais ágeis e dinâmicas:

Contabilidade consultiva – o atendimento é realizado por um contador que atua como consultor especialista para a empresa, desta forma é mais fácil apoiar o negócio em novas fases e em decisões mais estratégicas.

Contabilidade híbrida – esta forma permite alinhamento maior entre a contabilidade tradicional e o modelo on line, permitindo um melhor atendimento às empresas.

Contabilidade colaborativa – conhecida como contabilidade do futuro, tem como base o uso de novas tecnologias e integração de dados contábeis, mediando a empresa, o estado e o escritório contábil.

Contabilidade digital – encurta distâncias e utiliza a tecnologia para integrar informações em tempo real, efetiva diferentes atividades da rotina contábil com mais precisão e dinamismo.

A Escrita Contabilidade está em constante inovação para oferecer as melhores soluções para os nossos clientes. Entre em contato conosco.

 

Mudanças-no-Imposto-de-Renda-2022---Isenção-na-venda-de-imóvel

Mudanças no Imposto de Renda 2022 Isenção na venda de imóvel

A Receita Federal ampliou a isenção de Imposto de Renda na venda de imóvel

A alteração foi publicada no Diário Oficial da União em 17 de março de 2022. Quem vender imóvel a partir de agora tem mais uma opção para deixar de pagar o Imposto de Renda(IR) sobre o lucro do negócio.

Até então a regra funcionava desta maneira, ao vender um imóvel o contribuinte pagava na declaração do imposto de renda uma taxa de 15 a 22% sobre o ganho de capital, isto é, a diferença entre o que pagou na compra do imóvel e quanto recebeu ao vendê-lo. Em 2005 surgiu a isenção dessa cobrança, o contribuinte usava o dinheiro da venda para adquirir outro imóvel em até seis meses.

Neste caso, a Receita Federal exigia que o contrato da nova aquisição fosse firmado apenas depois que o primeiro imóvel tivesse sido vendido.

A isenção vale para abater a dívida parcial ou total do financiamento imobiliário anterior. O benefício está disponível apenas para quem quitar o financiamento até seis meses depois da venda do primeiro imóvel. Valem tanto quitações parciais como totais.

Condições da Receita Federal 

As duas unidades residenciais devem estar localizadas no Brasil, e é necessário que o imóvel quitado esteja no mesmo nome do vendedor do primeiro.

A expectativa é que a nova lei beneficie pessoas físicas e também garanta um aquecimento no mercado imobiliário.

ISENÇÕES

Em relação as isenções, a Receita Federal concede apenas para a venda e a compra da casa própria.

Além da compra de imóvel residencial próprio e da quitação de financiamento, a Receita concede isenção conforme o grau de antiguidade do bem. Unidades compradas antes de 1969, por exemplo, não pagam Imposto de Renda.

Como o assunto é novo, é comum que surjam muitas dúvidas na hora de preencher a declaração do Imposto de Renda, mas fique tranquilo, nossa equipe está aqui para te auxiliar.

O prazo final para a entrega da declaração foi prorrogado para o dia 31 de maio de 2022. Reúna todos os seus documentos e entre em contato conosco.

Folha de pagamento: erros mais comuns

No setor de Recursos Humanos, a folha de pagamento é uma das principais atividades. O documento deve ser preenchido com muita cautela e atenção. Mesmo assim, é comum que alguns equívocos possam ser cometidos durante sua elaboração, já que envolve muitos cálculos, aspectos jurídicos e legislativos.

Para garantir uma boa gestão é importante reduzir os riscos a erros, desta forma a empresa evita transtornos como gastos desnecessários, multas e até indenizações.

Mas você sabe quais são os erros mais comuns?

– Falta de registro de empregados no prazo correto

– Salários abaixo do piso da categoria sindical

– Verbas lançadas na folha sem tributação de impostos

– Falta de exames de medicina do trabalho

– Não acompanhar as mudanças na legislação trabalhista

– Errar na previsão dos custos

-Utilizar categoria e enquadramento errados

Esses são apenas alguns equívocos que devem ser evitados. A atenção no preenchimento da folha de pagamento é necessária tanto para manter um controle do fluxo de caixa da organização, quanto por razões legais.

O preenchimento da folha não é algo difícil, mas é importante manter um bom sistema tecnológico integrado ao RH que cuide de todos os dados, como um profissional qualificado e atualizado.

Neste artigo você acompanhou apenas algumas dicas, mas você não precisa se preocupar, a Escrita Contabilidade possui profissionais habilitados para cuidar do departamento pessoal de sua empresa. Entre em contato conosco para mais informações.

 

Imposto_de_Renda_2022_Escrita_Contabilidade

Imposto de Renda 2022

Novas regras para a Declaração

De acordo com a Receita Federal, a expectativa é de que 34,1 milhões de brasileiros enviem a declaração de imposto de renda, ano base 2021.
O prazo para envio inicia no dia 07 de março e segue até às 23h59min59s (vinte e três horas, cinquenta e nove minutos e cinquenta e nove segundos), horário de Brasília, de 29 de abril de 2022. Após este período, o contribuinte que apresentar a declaração vai receber multas pelo atraso.
Este ano foram divulgadas algumas novidades, como  o pagamento do DARF que poderá ser realizado por meio de PIX. Acesso ampliado à declaração pré-preenchida por meio de todas as plataformas disponíveis e o recebimento da restituição são outras novidades. Em 2022 a restituição poderá ser recebida por meio do PIX, para isso é necessário que a Chave PIX seja o CPF do titular da declaração.

Quem deve apresentar a declaração:
Os contribuintes que:
– receberam rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste na declaração, cuja soma foi superior a R$ 28.559,70 (vinte e oito mil, quinhentos e cinquenta e nove reais e setenta centavos) e, em relação à atividade rural, obteve receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 (cento e quarenta e dois mil, setecentos e noventa e oito reais e cinquenta centavos);
– receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40.000,00 (quarenta mil reais);
Estão obrigadas a apresentar a declaração também aquelas pessoas físicas residentes no Brasil que no ano-calendário de 2021, entre outros:
– Obtiveram, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
– Tiveram, em 31 de dezembro, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00 (trezentos mil reais);
Como pode ser elaborada:
– Computador, por meio do PGD IRPF 2022, disponível no sítio da Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) na Internet, no endereço: www.gov.br/receitafederal/pt-br;
– Dispositivos móveis, tais como tablets e smartphones, mediante acesso ao serviço “Meu Imposto de Renda”, disponível por meio do aplicativo APP “Meu Imposto de Renda”, disponível nas lojas de aplicativos Google Play, para o sistema operacional Android, ou App Store, para o sistema operacional iOS;
– Computador, mediante acesso ao serviço “Meu Imposto de Renda”, disponível no Centro Virtual de Atendimento (e-CAC) que pode ser acessado através deste endereço: eCAC – Centro Virtual de Atendimento (fazenda.gov.br), de acordo com o disposto na Instrução Normativa RFB nº 1.995, de 24 de novembro de 2020.

Se você necessita de ajuda para preencher sua declaração, conte com a equipe especializada da Escrita Contabilidade.

Vlog

Atenção Microempreendedor Individual (MEI), sua declaração anual já pode ser feita

O ano inicia e você Microempreendedor Individual (MEI), já pode começar a se planejar para a regularização anual. Ela é obrigatória a todos do regime, optantes pelo Simples Nacional.

Se você teve MEI em 2021, ou abriu até o dia 31 de dezembro, a declaração do Simples Nacional é obrigatória.
Lembre-se, o prazo de envio da declaração anual se encerra no dia 31 de maio, caso tenha algum atraso, você será obrigado a pagar multas sobre o valor mínimo de R$50,00, porém os valores variam conforme o tempo de atraso. Evite multas, antecipe sua declaração.

O que é necessário constar na declaração?

Você precisa informar os dados do CNPJ utilizando a receita bruta anual de 2021, e deve declarar inclusive aqueles que não tiveram movimentação ou faturamento no passado.

Como você deve fazer o DASN-SIMEI? Passo a passo:

O procedimento pode ser feito totalmente online e sem custos pelo site do Simples Nacional:

– Acesse o site do Simples Nacional;
-Selecione “DASN-SIMEI — Declaração Anual para o MEI”;
-Informe o CNPJ e os caracteres de segurança solicitados;
-Na opção “Tipo de Declaração” clique em “Original” e selecione o ano-base da declaração (neste caso, 2021);
-Insira o faturamento de cada atividade. Se o faturamento for de apenas uma atividade, preencha “0” nos outros campos;
-Informe nesta tela se teve empregado durante o ano anterior;
-Na sequência aparecerá um extrato com os acertos realizados ao longo de 2021, confira e clique em “Transmitir”;
-A última tela informará que a transmissão foi feita e com isso será gerado o recibo de entrega do DASN-SIMEI, que poderá ser salvo ou impresso.

Se houver erros, você pode retificar na seção DASN-SIMEI. Informe o CNPJ e no “Tipo de Declaração” clique em “Retificar”.

iStock-840610244

A sua empresa aproveita todos os benefícios fiscais disponíveis?

Que os brasileiros pagam muitos impostos, isso não é novidade para ninguém. Segundo estudo divulgado pela Folha de São Paulo, em 2019, a carga tributária recolhida pelo Estado bateu recorde, chegando a 35,17% do Produto Interno Bruto. 

Mas se a carga tributária é tão elevada, como podem as empresas continuar a abrir suas portas e investir? 

Uma das respostas está nos benefícios fiscais que são concedidos pelo Estado a setores específicos do mercado. Eles têm o objetivo de incentivar a instalação e continuação de operações de empresas. Dessa forma, aumentam os índices de desenvolvimento econômico, de emprego e também de arrecadação. Esses benefícios podem ser concedidos em nível federal, estadual e também municipal. 

Você já deve ter percebido que essas concessões funcionam como manobra política em períodos eleitorais. 

Leis recentes 

Em Santa Catarina, após o último pleito eleitoral, alguns benefícios fiscais voltaram a ser discutidos, resultando em Leis. Uma delas é a Lei do Rescaldo, ou Lei 17.877/2019, que reduz a alíquota de ICMS para setores como construção civil, têxtil, vestuário e alimentos. Além dessa, a Lei 17.878/2019 também reduz alíquotas de ICMS para empresas de transportes, itens de construção civil, cerâmica vermelha, pré-moldados e telas soldadas.

Programas de Incentivo em SC 

 PRODEC – Programa de Desenvolvimento da Empresa Catarinense 

Foi instituído pela Lei 13.342/2005 e visa incentivar a instalação ou expansão de indústrias com o intuito de gerar empregos e renda em SC. O incentivo tem como base o financiamento de capital de giro das empresas com baixo custo. 

 Programa Pró-Emprego 

Instituído pela Lei 13.992/2007, oferece tratamento diferenciado de ICMS a empresas que geram empregos e que sejam de interesse socioeconômico ao Estado, como empresas de implementação e modernização tecnológica, outras consideradas prioritárias ao desenvolvimento econômico, social e tecnológico de SC, bem como aquelas que facilitam importações e exportações. 

 Incentivos fiscais para importações 

Ao se falar em benefícios fiscais, especialmente na região de Itajaí, não podemos esquecer do Tratamento Tributário Diferenciado para importações. Este TTD está presente na Lei 17.763/2019 e apresenta incentivos fiscais, como a redução de ICMS para empresas de comércio exterior. 

Como resultado desse benefício, grande parte das importações nacionais, agora, passam por Santa Catarina. 

Quer saber se a sua empresa se enquadra em algum benefício fiscal em Santa Catarina? Na Escrita Contabilidade podemos responder essa questão para você

pexels-picjumbocom-461077

O Portal e-CAC não poderá mais ser acessado por meio de certificado digital.

O dia 31 de agosto de 2020 marca o fim da utilização de certificados digitais para acessar diretamente o Portal e-CAC da Receita Federal. O acesso ao Portal pode ser realizado através de um código ou pelo login gov.br, desde o dia 2 de julho deste ano. Essa medida permite que cidadãos sem certificado digital possam acessar o Portal e-CAC e utilizar os serviços virtuais da Receita Federal.

 

O que é o Portal e-CAC?
O Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte da Receita Federal foi criado no ano de 2005 para facilitar o acesso aos serviços do órgão, deixando de lado, aos poucos, a necessidade de atendimento presencial.

O que é o gov.br?

O GovBr é um serviço de identificação virtual unificado do governo federal, no qual os cidadãos têm acesso a diversos serviços públicos digitais.

 

Como fica a utilização do certificado digital no e-CAC?

Apesar do acesso ao e-CAC não permitir mais a opção de login por meio do certificado digital a partir do final deste mês, diversos serviços do Portal só poderão ser acessados com a certificação e selos de confiabilidade. Esses selos deverão ser obtidos diretamente no Portal gov.br, ao ser acessado utilizando o certificado digital, na barra de privacidade.

 

Quais os serviços disponíveis no e-CAC?

A lista de serviços da Receita Federal disponível no e-CAC é extensa. Entre ela estão:
Fazer inscrição, consultar e alterar o CEI (Cadastro Específico do INSS);
Verificar a situação fiscal;
Verificar rendimentos;
Obter extrato das últimas declarações do Imposto de Renda de Pessoa Física;
Consultar dívidas ativas na União;
Agendar serviços em postos de atendimentos da Receita Federal.
Existem ainda serviços exclusivos para e-CPF e para e-CNPJ. A lista completa você pode conferir clicando aqui.

blue-and-yellow-graph-on-stock-market-monitor-159888

O que você precisa saber sobre a LGPD

A LGPD, ou Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, foi aprovada em agosto de 2018 e previa vigência a partir de agosto de 2020. Para ser mais exato, dia 14.

O assunto voltou a ser amplamente discutido recentemente pela proximidade da data, pois essa Lei interfere em qualquer empresa que possua dados pessoais de identificação, como as utilizadas na abertura de crediário em lojas, comércios eletrônicos, bancos e redes sociais.

Um dos tópicos que mais preocupam empresários de todos os setores em relação a isso é o fato de empresas que não se adequarem e cumprirem a Lei, poderão ser punidas com multas de até 2% do faturamento total do ano anterior.

Segundo um relatório feito pela ICTS Protiviti e citado nesta matéria do Portal Contábeis, cerca de 84% das empresas brasileiras não estavam preparadas para as novas regras da LGPD em março deste ano. Com isso, aumenta a preocupação de empresários quanto a cobranças de órgãos de controle e fiscalização, como Procon e Ministério Público.

A origem da Lei de Proteção de Dados

As discussões sobre a Lei de Proteção de Dados se intensificaram após a polêmica que envolveu o Facebook e a empresa britânica Cambridge Analytica. Em 2014, estima-se que dados de cerca de 87 milhões de usuários da rede social foram utilizados sem consentimento para influenciar a opinião de eleitores em diversos países, como os Estados Unidos.

A repercussão foi tanta que respingou até mesmo no Brasil.

O que diz a LGPD

De forma geral, a Lei 13.709/18 é um arcabouço jurídico criado para padronizar normas e práticas de proteção de dados pessoais. Entre as determinações mais relevantes estão:

– A Lei é válida tanto para dados físicos, como digitais;

– É válida para qualquer pessoa que esteja em território nacional e para qualquer empresa que possua dados de brasileiros;

– Determina que os usuários devem consentir em relação ao uso dos dados por parte da empresa;

– Os cidadãos podem exigir a exclusão e modificação das informações em qualquer momento;

– A finalidade e necessidade dos dados devem ser esclarecidas às pessoas previamente e o uso dos dados deverá respeitar essa finalidade apontada;

– As empresas deverão criar normas de governança e medidas preventivas para o caso de vazamento de informações;

– A Lei ainda estipula a criação da Autoridade Nacional de Proteção de Dados Pessoais (ANPD), bem como as próprias organizações deverão contar com agentes de tratamentos dessas informações.

A situação atual da LGPD

Atualmente, duas normas alteram os prazos da LGPD.

A primeira é a Lei 14.010/20, que determina que sanções administrativas para quem descumprir a LGPD só serão aplicadas a partir de primeiro de agosto de 2021.

A segunda norma, a Medida Provisória 959/20, publicada em abril deste ano, muda especificamente o prazo de vigência da LGPD para o dia 3 de maio de 2021.

Contudo, a validade da MP vai apenas até o dia 26 de agosto deste ano e caso não seja levada ao plenário do Congresso, será invalidada. Caso isso ocorra, o prazo de vigência da Lei volta a ser no dia 14 de agosto de 2020, ou seja, já estaria em vigor.

A Repercussão da LGPD

Entidades representantes de dirigentes lojistas e associações pedem a ampliação do prazo de vigência da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais.

O principal motivo é que as empresas dependem da criação da ANPD para se adequarem às novas normas e não desperdiçar em recursos que possivelmente não serão necessários no futuro.

Apesar de a LGPD ainda estar incerta, é recomendável que as empresas passem a tomar mais cuidado no armazenamento e utilização de dados dos clientes.

Ficaremos atentos às novas decisões nos próximos dias. Acompanhe a Escrita Contabilidade pelas redes sociais e saiba tudo sobre esta nova Lei.